672802 970×600 1

‘The Taste Brasil’ terá a chef Helena Rizzo como mentora na nova temporada

MAGÊ FLORES
DE SÃO PAULO

Por trás das pequenas cozinhas em tons diferentes, quatro ao todo, há um longo corredor. Ele não aparece na televisão, mas poderia ser a parte preferida do programa para muita gente. São prateleiras e prateleiras de ingredientes em potinhos rotulados, arrozes, especiarias, farinhas, óleos, frutas…

Pois é um reality show de gastronomia, só com “chefs de verdade” cozinhando.

O “The Taste Brasil” estreia em 6 de abril sua terceira temporada, no GNT. A principal novidade é aquela acima: quatro cozinhas, ou seja, quatro mentores. A premiada chef Helena Rizzo (Maní), se une a André Mifano (Lilu), Claude Troisgros (Olympe) e Felipe Bronze (Oro). No programa, cada um tem seu time de três integrantes, selecionados a partir de testes cegos em que provam receitas dispostas em colheres, em dose única.

Com a chegada de Helena, muda a dinâmica principalmente em momentos de decisão. Se antes o terceiro jurado acabava dando o voto de minerva em impasses, agora há empates e eles têm que negociar até o veredicto.

A ida da chef “low profile” surpreendeu até a equipe. “O que eu acho legal é que não temos que usar margarina, é um programa livre e com conteúdo gastronômico”, justifica.

Durante a gravação, ela cozinha lado a lado com um dos participantes —o que é até questionado pelos concorrentes e pelo diretor que alerta no ponto “Helena, chama o menino, calibra ele”. E a resposta: “Ah, hoje eu preciso cozinhar, dane-se.”

“A galera que participa é a que trabalha com a gente. São perfis parecidos com os que temos no nosso dia a dia”, diz a chef.

Nos bastidores, todos acompanham os preparos em tempo real. “Adivinha quem vai defumar coisas?” “Isso vai ficar com gosto de ovo.” “O que ela está comendo? É jambu?” Poderiam ser falas entre jurados. Mas eram da equipe técnica, que já aprendeu muito sobre cozinha.

Entre os chefs, claro, há também muito assunto. “Eu sou muito caseira, trabalho e vou para casa. Ter essas trocas entre mentores, conversar sobre o gosto, é um estímulo”, diz Helena. “Me recicla muito estar com gente jovem, fazendo coisas diferentes e pensando ‘gostaria de ter tido essa ideia'”, completa Felipe Bronze.

Estar na terceira edição, acredita o diretor Roberto D’Avila, atrai outro perfil de cozinheiro. “Profissionais mais qualificados passaram a se inscrever porque agora têm certeza de que não vão se expor ao ridículo, já conhecem o estilo do programa.” “Tem um menino que foi do Lasai [do chef Rafa Costa e Silva, no RJ], superprofissional, que submeteu seu trabalho ao crivo dos mentores.” “A primeira temporada foi de experiência para todos nós”, diz Claude Troisgros.

Os mentores concordam com a evolução no nível dos cozinheiros nesta temporada —Bronze já convidou três para trabalharem com ele, por exemplo.

“Cozinhar é minha vida, o que eu faço pra viver, seja na TV ou no restaurante. E, no programa, todo o mundo pensa a comida com muito respeito. Isso transparece para quem se inscreve também. É um programa sério, que faz parte da realidade”, diz André Mifano.

The Taste Brasil – terceira temporada
QUANDO a partir de 6/4, no GNT

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/saopaulo/2017/03/1863221-the-taste-brasil-tera-a-chef-helena-rizzo-como-mentora-na-nova-temporada.shtml

Por: Alberto Rocha/Folhapress 18/01/2017